O Partido Comunista da China anunciou nesta quinta-feira, 29, o fim da política do filho único. A partir de agora, cada casal poderá ter até dois filhos. A decisão histórica acaba com a rega polêmica que por mais de 30 anos esteve em vigor no território chinês.

A medida busca frear o processo de envelhecimento da população e o desequilíbrio entre o número de homens e mulheres. A taxa de fecundação no país está bem abaixo do nível que garante a renovação das gerações, um dos motivos que fez o governo reconhecer que estava na hora de colocar fim à regra.

Há dois anos, o governo chinês já havia dado um primeiro passo para uma flexibilidade maior no controle de natalidade: casais em que um dos cônjuges fosse filho único foram autorizados a ter um segundo filho.

A política do filho único foi implantada pelo governo chinês na década de 70 com o intuito de conter o avanço populacional e impedir que, hoje, a China tivesse 1,7 bilhão de habitantes. Atualmente, o país tem 1,3 bilhão de habitantes.

Fonte: Redação Canção Nova

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.