Veja a relação com o ano de cada Jubileu e seu respectivo Papa

No próximo dia 8 terá início o Ano Santo da Misericórdia. O jubileu extraordinário foi proclamado pelo Papa Francisco e será o 29º da história da Igreja.

O Jubileu da Misericórdia vai começar com a abertura da Porta Santa da Basílica de São Pedro, o que não acontece desde 2000, data do último Jubileu. A Porta permanecerá aberta durante todo o Ano Santo, que vai até 20 de novembro de 2016. A Porta Santa será aberta também nas outras três basílicas papais: São João de Latrão, São Paulo Fora dos Muros e Santa Maria maior.

O gesto da abertura da porta simboliza que o jubileu é um tempo privilegiado, em que os fiéis têm um “percurso extraordinário” para a salvação.

Segundo padre Marcio Prado, reitor do Santuário do Pai das Misericórdias em Cachoeira Paulista (SP), a importância do Ano Santo está na própria iniciativa do Papa Francisco. “O Ano Santo da Misericórdia foi instituído pelo Papa diante da sua sensibilidade pastoral, pois percebeu que o mundo hoje precisa viver a misericórdia, o perdão, que as pessoas precisam dar uma nova chance aos outros.”

Para o padre, este jubileu extraordinário tem duas facetas: “a primeira é que cada cristão acolha a misericórdia e o amor do Pai, que se dá em Jesus Cristo. A segunda é que uma vez que eu recebo a misericórdia, eu também transmito a misericórdia. Eu sou capaz de apresentar esta misericórdia aos outros, sendo misericordioso como o Pai.”

O tema deste Ano Jubilar é “Sede misericordiosos como o Pai”.

O padre lembra que, por ocasião do Jubileu, a Igreja concede aos santuários e catedrais a oportunidade de ter a Porta Santa, o que foi concedido também na Canção Nova. “No Santuário do Pai das Misericórdias, teremos a abertura da Porta Santa, concedida pelo nosso bispo diocesano. É importante frisar que não é a importância da porta pela porta, mas uma porta espiritual, que simbolicamente é Jesus, e aqueles que passarem pela porta poderão receber as indulgências, com o devido preparo.”

História dos Jubileus

Paulo VI na abertura da Porta Santa em 1975/ Foto: L'osservatore Romano

A celebração dos jubileus começou com os hebreus. O jubileu era um ano declarado santo e que acontecia a cada 50 anos, no qual se devia restituir a igualdade a todos os filhos de Israel.

A Igreja católica iniciou a tradição do Ano Santo com o Papa Bonifácio VIII em 1300. Ele planejou um jubileu por século. A partir de 1475, para possibilitar que cada geração vivesse pelo menos um Ano Santo, o jubileu ordinário passou a acontecer a cada 25 anos. Um jubileu extraordinário pode ser realizado em ocasião de um acontecimento de particular importância.

Até hoje, foram 26 Anos Santos ordinários. O último ordinário foi o Jubileu de 2000.

Quanto aos jubileus extraordinários, o último foi o de 1983, instituído por João Paulo II pelos 1950 anos da Redenção.

A Igreja católica deu um significado mais espiritual aos jubileus, consistindo em um perdão geral, uma indulgência aberta a todos, uma possibilidade de renovar a relação com Deus e com o próximo. Assim, o Ano Santo é sempre uma oportunidade para aprofundar a fé e viver com renovado empenho o testemunho cristão.

Relação dos Anos Jubilares

Veja a lista com os Anos Jubilares existentes na Igreja e seus respectivos Papas:

1300: Bonifácio VIII

1350: Clemente VI

1390: Proclamado por Urbano VI, presidido por Bonifácio IX

1400: Bonifácio IX

1423: Martinho V

1450: Nicolau V

1475: Proclamado por Paulo II, presidido por Sisto IV

1500: Alexandre VI

1525: Clemente VII

1550: Proclamado por Paulo III, presidido por Júlio III

1575: Gregório XIII

1600: Clemente VIII

1625: Urbano VIII

1650: Inocêncio X

1675: Clemente X

1700: Aberto por Inocêncio XII, encerrado por Clemente XI

1725: Bento XIII

1750: Bento XIV

1775: Proclamado por Clemente XIV, presidido por Pio VI

1825: Leão XII

1875: Pio IX

1900: Leão XIII

1925: Pio XI

1933: Pio XI (extraordinário)

1950: Pio XII

1975: Paulo VI

1983: João Paulo II (extraordinário)

2000: João Paulo II

2015: Francisco (extraordinário)

Jubileu na Canção Nova

Padre Marcio Prado acrescenta ainda que no Santuário do Pai das Misericórdias as celebrações do Ano Santo terão início com a abertura da Porta Santa no dia 20 de dezembro de 2016 às 16h, pelo bispo da diocese de Lorena, Dom João Inácio Müller.

Durante todo o Ano Santo, o Santuário aproveitará a programação dos eventos da Canção Nova para celebrar o Jubileu. “Por exemplo, durante o PHN, o Santuário vai viver o Jubileu dos Jovens; quando houver o Acampamento de casais, promoveremos o Jubileu das Famílias, e assim por diante. Também uma vez ao mês haverá mutirão de confissões e atos concretos de obras de misericórdia como arrecadação de alimentos, agasalhos, direcionando-os para quem necessita.”

Além dessas atividades, durante o Jubileu, todas as sextas-feiras acontecerá no Santuário a oração da Via-Sacra e todos os sábados, a oração do terço mariano, com uma procissão.

Fonte: Redação Canção Nova

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.