Casal sírio que foi levado pelo Papa para o Vaticano diz que só quer uma vida normal em um país onde haja paz

Um sentimento de surpresa e incredibilidade toma conta das três famílias sírias que o Papa Francisco levou para o Vaticano ao final de sua visita à ilha grega de Lesbos. O casal mais jovem que acompanhou o Santo Padre foi Hassan e Nour Zahidà, junto com o único filho; eles foram acolhidos pela Comunidade de Santo Egídio.

A fuga do casal começou em Damasco, passou por Aleppo até chegar à Turquia, de onde seguiram rumo à Grécia em uma embarcação com o objetivo de fugir da guerra.

“Deixamos a Síria em dezembro de 2015, porque meu marido foi chamado a se alistar no exército: chamaram todos os homens entre 18 e 45 anos para lutarem na guerra com o exército sírio! O nome do meu marido constava em toda delegacia de polícia e, portanto, não podíamos sair do país através das fronteiras regulares. Fomos obrigados a sair por vias ilegais”, explica Nour.

Fonte: Canção Nova

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.